Sobre Natuba

Vista aérea da Cidade

           Natuba   é  um   município  brasileiro  localizado  na   microrregião   de Umbuzeiro,  estado  da  Paraíba.  Sua população em 2012 foi  estimada pelo IBGE  (Instituto  Brasileiro de Geografia e Estatística) em 10.278 habitantes,  distribuídos   em 192 km² de área.  Sabe-se que em  1874  foram  adquiridos uma imagem e um sino para a capela  em homenagem a  Nossa Senhora das  Dores,  o  que  fez  acreditar  que  na época  já  existia por ali o início de uma  povoação.    Recebeu   o    topônimo  de    Natuba,   passando    depois   para  Trambeque  e mais tarde para  Barra de Natuba.    Em 1875, uma grande cheia do Rio Paraíba destruiu por completo a vila, fazendo com que seus moradores edificassem a povoação um pouco mais  acima,  onde  se  encontra, hoje, a sede municipal. O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro.

          Alguns     moradores   contribuíram     para   a   formação    do    lugarejo,  destacando-se  Francisco  Costa,  Manoel    de  Farias  Vasconcelos    e   João  Bezerra, participantes ativos do crescimento do lugar. O progresso de Barra de Natuba  foi rápido e, em  1914, o Manoel de Vasconcelos fez a doação de um terreno para que fosse construída  uma  nova sede da igreja, que foi reformada, em 1940, e hoje é a Matriz da comunidade, sob orago de Nossa Senhora das Dôres.

Gentílico: Natubense

O primeiro Prefeito de Natuba

      Nasceu em Natuba em 15 de Maio de 1905. Seu pai foi Américo João de Albuquerque Montenegro e sua mãe D. Severina Cândida de Vasconcelos. Desde a infância atraído pelas letras, fez curso primário em Natuba e conquistou os preparatórios e o curso superior em Porto Alegre-RS, diplomando-se em Odontologia e exercendo a profissão por 50 anos. Dedicou-se cedo à carreira militar, tendo residido em várias cidades do Brasil ao longo de sua vida. Era conhecido por Chicute, tinha um hábito peculiar gostava de usar branco.

Fundou o Centro Cultural de Canela-RS, e o Centro Cultural de Natuba-PB.

Fundou e dirigiu o Museu Histórico de Natuba, com a Cripta-Pantheon.

Fundou e dirigiu o Ginásio Comercial de Natuba, sendo seu primeiro Diretor e Professor de Prática de Escritório.

Francisco de Albuquerque Montenegro

        Administrou o município de Natuba, no período de 27 de Outubro de 1962 a 10 de Novembro de 1966, tendo antes cooperado ativamente para a elevação de Natuba a categoria de Município Paraibano. Seu lema positivista era: “Pra frente Natuba, num Brasil Grande”.  Ele faleceu aos 91 anos no hospital militar em Recife, devido a complicações cardíacas, em 16 de Junho de 1995. Seus restos mortais encontram-se na Cripta-Pantheon do Museu Histórico de Natuba.

Formação Administrativa

           Distrito  criado  com  a denominação  de Natuba, pela lei provincial nº 2, de  11-09-1848,     subordinado   ao   município   de    Umbuzeiro.  Em divisão  administrativa  referente  ao  ano de 1911,  o  distrito  de  Natuba  figura  no município de Umbuzeiro. Assim permanecendo em divisão territorial datada de  01-07-1960.  Elevado  à  categoria  de  município  com a denominação de Natuba,   pela   lei  estadual  nº  2601,   de   29-11-1961,    desmembrado   de Umbuzeiro.   Sede   no  antigo distrito de Natuba. Constituído de 2 distritos: Natuba  e  Pirauá, ambos desmembrado de Umbuzeiro. Instalado em 27-10-1962. Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído de 2  distritos:  Natuba e Pirauá. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Natuba Terra da Uva

Parreiral de Uvas

        O município é conhecido por ser a Terra das Uvas, o título vem pelo fato de que a região seja a maior produtora de Uva do tipo Isabel da Paraíba. São dezenas de pequenos produtores que sustentam suas famílias por meio da produção e comercialização do fruto, o clima e o solo  favorecem o cultivo o ano inteiro. Também é feito através da Uva Isabel, o vinho e a geleia, todo processo da fabricação é 100% artesanal e natural, sem uso de produtos químicos. 

Vinho e a Geleia da Uva Isabel

Feriados Municipais

15 de Setembro

Padroeira Nossa Senhora das Dôres.

29 de Novembro

Emancipação Política.

Dia do Evangélico

2º Sábado de Novembro de cada ano.

Hino de Natuba

I

O ideal que surgiu liberdade

Num famoso gesto varonil

Despertou no filho desta terra

Num recanto do Sul do Brasil!

À frente vamos, natubenses

Exaltar nosso audaz pavilhão!

Com grandeza, amor e civismo

Irmanados num só coração.

Refrão

Salve Natuba! Salve Natuba!

Por teus filhos adorada!

Ostentas  tuas riquezas

És por Deus abençoada!

II

Debruçada às margens do rio

Adornada pelos canaviais,

Assim nasceste oh! Filha das Selvas,

Embalada por belos cafezais,

No coração e nas veias do teu povo,

Bate o sangue tupi-guarani!

Em tua História se guarda a lembrança

Retratada na Índia Mani.

III

O orgulho dos antepassados

Que te viram neste berço crescer,

Simboliza hoje o brio de um povo!

Na esperança do teu enaltecer,

A memória desta gente desperta

Fervoroso amor sem igual!

Permanece altiva e presente

A chama viva ardente imortal.

IV

A beleza das matas constantes,

A riqueza dos teus parreirais,

A pujança das tuas cascatas,

A verdura dos teus bananais!

Os teus rios e tuas montanhas

Em teus vales brotam minerais

Brilha ouro o sol sobre os montes

Paraíso majestoso e colossal.

V

Ao ouvir o gorjeio das aves

No coração o amor faz sentir!

O nascer de um novo horizonte

Na esperança de ti ver progredir!

Teu passado eterniza uma história

Teu presente fulgurante se faz!

Teu futuro espelha a nobreza,

Desta terra de glória e de paz.